domingo, 16 de dezembro de 2007

Domingo em frente à TV!

Comportamentos que eu odeio nos filmes:
• Pessoas simplesmente não se importam de ficar conversando na chuva antes de entrar no carro. Honestamente, quem faz isso?
• Mulheres que brigam com homens no restaurante e se mandam de repente, deixando a conta pro cara. Sacanagem!
• Casais que sempre transam em baixo dos lençóis. Francamente, lençol atrapalha!
• Mulheres que levantam e se enrolam no lençol para ir tomar banho depois de uma noite de sexo. Como se o parceiro não tivesse visto muito além!
• Cantadas são sempre um convite pra tomar uma xícara de café. Um pretexto tão arbitrário quanto um convite pra mascar um Trident!
• Crianças nunca gostam de ervilhas na hora da refeição. O que há de errado com ervilhas, saladas tudo bem, são crianças, mas ervilhas?
• Pessoas histéricas. Dá pra se controlar? Vou trocar de canal!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Pequeno ensaio sobre o aquecimento global!

• Resort Caldas da Islândia é uma boa pedida para quem deseja fugir do rigor do inverno carioca.
• Ibama preocupado com a dieta dos pingüins em Fernando de Noronha.
• Pessoas recorrem cada vez mais ao implante de pêlos faciais para se proteger do sol.
• Prefeitura proíbe nadar até o Cristo Redentor.
• Presidente americano se reúne com cúpula neste fim de semana para assinar Protocolo de Kyoto.

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Temas alternativos para redação no vestibular!

Tema 1
Três anos após o grande terremoto que provocou a tsunami na Tailândia, cientistas começam a entender melhor as verdadeiras conseqüências da tragédia. A magnitude do terremoto deslocou o eixo da terra em 0,001 grau e provocou alterações no efeito gravitacional.
Concomitantemente, inúmeros flagras de famosas sem calcinha tem provocado suspeitas por parte dos paparazzi em todo o globo.

Tema 2
O besouro rola-bosta procura esterco para se alimentar, fazendo uma imensa bola com o material e sua saliva. Ele sai a rolar a sua bola fétida até encontrar um bom local para depositar seus ovos.
Neste ano, o cenário político nacional foi palco de inúmeros casos de corrupção, CPIs, escândalos no Senado, prorrogação da CPMF, entre outros. Nada muito diferente do que vem rolando há anos, enquanto a população brasileira assiste a tudo perplexa e sem reação.

Tema 3
Pesquisas comprovam que crianças que brincam mais crescem mais saudáveis. Hoje, uma nova corrente nas instituições de ensino tenta trazer de volta velhas brincadeiras como de roda, pega-pega e esconde-esconde.
Na Inglaterra, Madeleine continua desaparecida e a polícia já comenta a possibilidade de procurar outras crianças primeiro.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Nada a declarar!

Acordo todos os dias de manhã e, a caminho do trabalho, vejo pessoas felizes correndo nos parques, passeando com seus cachorrinhos, chimarrão na mão. E a grande maioria não é de homens ou mulheres de cabeça branca, a julgar que essa atividade possa ser atribuída a aposentados com muito tempo à disposição.

Alguma coisa se perdeu entre o teste vocacional e o “x” na inscrição.

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Fonte de Inspiração!

Só tenho uma coisa a dizer àquelas pessoas que dizem que o ser humano deve olhar para o meio ambiente como fonte de inspiração:

• Existem milhões de mosquitos sugando sangue sem parar;
• Bilhões de moscas comendo merda todos os dias;
• Trilhões de formigas trabalhando o dia inteiro sem parar (dá pra imaginar algo mais insuportável).

Cuidado, não dá pra levar a natureza tão a sério!

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Regras para ser um pedreiro autêntico!

Meu apartamento em reformas me aguça a percepção para alguns pré-requisitos básicos para ser um pedreiro de verdade.

• Usar calças que deixem o “cofrinho” à mostra ao se abaixar.
Importante: a racha da bunda aparecendo tem que ser grande o suficiente pra colocar uma moeda de 1 real.
• Ter uma calça de trabalho e uma de “ir embora”.
• Achar que móveis em pátina precisam de uma segunda demão.
• Gostar de comer feijão frio.
• Achar que arquiteto é tudo veado (ou ter certeza, não sei!).
• Assobiar músicas em um agudo indecifrável.
• Quando questionado, coçar a cabeça olhando pra parede e dizendo “hmm, não sei não dona”.
• Dizer "Ô, princesa!" quando passa uma mulher na calçada.
• Ainda uma variação da anterior, gritar "Vô junto", mas com uma expressão fonética típica que se assemelha a "Fô xunto!", provocado talvez pela falta de dentes.

Bom, não é uma lista fechada, se alguém tiver alguma sugestão para acrescentar...

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Mundo das senhas!

Nada mais insuportável do que viver em um mundo regido pelas senhas. Senha do banco, senha do internet banking, senha alfanumérica, palavra secreta; senha da rede no trabalho; senha da tv a cabo; senha da operadora de celular; senha do plano de saúde; senha do programa de milhagens (entre outros programas de fidelidade); senha do e-mail no trabalho, e-mail pessoal, MSN e orkut.

Tem até senha pra entrar em casa. Logo vamos precisar senha pra dar a descarga na privada. O que irá revolucionar os ambientes de trabalho, já que os empregadores vão saber exatamente que horas você usou o banheiro e se você é o responsável por ter deixado um presente para o próximo usuário.

Pior é se o cara esquecer a senha, aí tem que ficar segurando ou pedir uma senha emprestada pra alguém. Mas aí o colega pode ficar com medo de ser questionado por uma falsa incontinência urinária ou até mesmo ser demitido por uso excessivo do toalete.

Isso dá mais medo do que digitar a senha bancária por engano no campo do e-mail e levar um golpe. Até porque merda por merda, a minha conta bancária é muito mais ridícula do que o suicídio social de uma privada entupida e os dedos alheios apontando em minha direção.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Tudo para agradar o cliente!

Acho bem engraçado o hábito de alguns garçons de rebater o seu pedido com uma opção similar. Por exemplo, esses dias fui almoçar e disse: “Por favor, uma coca!”. A resposta do garçom foi “Pepsi!”

E falam de maneira enfática:
“Pepsi!”, com ponto de exclamação!
Não é um “Infelizmente não temos, senhor”.
Ou um “Pode ser Pepsi?”

Às vezes dá vontade de retrucar novamente:
“Não, eu disse coca”
Ou “Qual parte da palavra coca você não entendeu?”

Mas até entendo a boa vontade dos garçons em querer resolver o seu problema e oferecer uma opção similar. Pior são aqueles que propõem algo completamente diferente:
“Por favor uma coca!”
“Temos suco de uva, senhor!”

Mais absurdo ainda são situações semelhantes só que com comidas. Tem um restaurante perto de uma agência que trabalhei que trocava os pratos do buffet por coisas completamente diferentes do que havia. Uma vez fiquei na fila esperando por mais batatinhas fritas. De repente vem o garçom e troca por berinjela recheada. E eu ali com cara de otário, não sabia nem se perguntava pelas batatinhas ou pegava um ovo frito mesmo que recém tinha chegado pro lugar do aipim.

Certa vez, no trabalho, alguém ligou para a Casa do Pão de Queijo e, pasmem, não tinha pão de queijo.
“Infelizmente estamos sem pão de queijo, senhor!”
“Tá, mas aí não é a Casa do Pão de Queijo?”
“Sim!”
“Então deixa eu entender uma coisa: aí é a casa do Pão de Queijo e vocês não tem pão de queijo?”
“Estamos em falta!”
“Tem feijão então?” (Dá vontade de perguntar!)

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Olhar para si!

Como é difícil falar de si mesmo! Particularmente, não conheço ninguém que não tenha dificuldade de falar de si mesmo. E mais do que falar, identificar e analisar suas próprias características, seus pontos fortes e fracos. Isso fica ainda mais claro quando comparamos auto-avaliações com aquelas feitas por terceiros.

Quem nunca ficou surpreso ao descobrir a opinião de alguém a seu respeito? Quem nunca desqualificou as considerações de outrem por considerá-las contraditórias à sua personalidade? Quem nunca usou a frase “isso mostra como essa pessoa não me conhece”?

Na história da humanidade, a primeira ciência foi a astrologia, que mais tarde (bem mais tarde) deu origem à astronomia. A primeira preocupação das pessoas foi a de entender os astros.

Já com a psicologia é diferente. O estudo do comportamento humano existe há muito tempo, mas a psicologia como ciência independente da filosofia remonta o final do século XIX. Uma história recente.

Ou seja, historicamente, a humanidade tentou entender primeiro o que estava distante, para só depois tentar entender a si mesmo. Talvez aí esteja uma das razões por que é tão difícil falar de si mesmo. É tão mais fácil olhar para o céu, ou melhor, encontrar uma razão distante para culpar pelos nossos próprios fracassos.

Não digo que outras pessoas não tenham responsabilidade também, é claro que têm, mas hoje parei pra pensar que quando buscamos respostas, o último lugar que paramos para olhar é pra dentro de nós mesmos.

terça-feira, 21 de agosto de 2007

O dono da bola!

Tive um amigo no colégio que durante um bom tempo era conhecido como o dono da bola. Isso porque nos recreios era ele quem trazia a bola de futebol de casa para a gente se divertir. O dono da bola tem um grande status entre um grupo de crianças cuja maior preocupação até uma certa idade é o desempenho futebolístico. Ele tem o direito de burlar as regras.

No meu colégio, o dono da bola sempre escolhia os melhores jogadores. Não soltava a pelota debaixo do braço até que as equipes estivessem definidas. A partida começava com a saída para o seu time, é claro.

Mas o pior era que ele não conhecia as regras do jogo, ou se conhecia, não se importava nem um pouco. Se havia uma desavença ou inferioridade no placar, na primeira oportunidade declarava pênalti para seu time. E quando me refiro a oportunidade, é qualquer uma mesmo. Falta no meio de campo? Pênalti! Reclamou do lateral? Pênalti!! Demorou pra cobrar o escanteio? Pênalti!!!

E coitado de quem resolvesse ir contra o dono da bola. Corria o risco de ser o responsável pelo término prematuro da partida. Porque era assim mesmo, quando se sentia incomodado ou pressionado demais, simplesmente declarava "a bola é minha" e encerrava o jogo. E o mais engraçado é que os outros colegas respeitavam a decisão e não se importavam com as demais bizarrices, culpando aquele que se opunha ao dono da bola.

Em todo lugar tem um dono da bola. Aquele que exige ser respeitado pelo poder que tem ou pelo seu status. Pessoas que são respeitadas não pelo que são, mas pela posição que ocupam. E fazem uso da pressão sobre as pessoas que não podem ficar sem jogar e precisam se sujeitar a regras absurdas. Exigem dedicação e obediência incondicionais, mesmo quando a bola é velha, a quadra esburacada e a tática ultrapassada. Mas, enfim, com tantas pessoas sem jogar por aí, o medo do banco de reservas é uma realidade constante.

Quando criança fui dono da bola algumas vezes. Hoje não mais. Mas curiosamente nunca fiz uso desse status pra me aproveitar da situação. De repente a bola fura, murcha, e todo mundo fica sem jogar, mas o prejuízo é maior para o dono. Eu sempre preferi fazer uma “vaquinha“ e dividir a bola com todos, assim cada pessoa se sente um pouco dono e responsável pelo bom andamento da partida.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

"O ócio enobrece o homem!"

Marx disse certa vez que o trabalho enobrece o homem. Bullshit!
Em primeiro lugar, como respeitar um cidadão que escreveu uma teoria sobre as relações de trabalho, mas nunca trabalhou, era um boêmio que vivia de favores dos amigos.
Então, se existe algum valor na teoria Marxista é o fato de ter sido escrita num estado de ócio pelo autor.
Porque na verdade o ócio enobrece o homem.
É o que fazemos com o nosso tempo livre que nos deixa mais felizes, é para poder curtir o tempo livre que trabalhamos. Não trabalhamos para ter mais trabalho. É no tempo livre é que adquirimos a cultura e o conhecimento capaz de fazer a diferença no trabalho. No trabalho aprendemos a mecânica, mas é fora dele que absorvemos o que estimula a nossa criatividade para inovar.

Nossa sociedade cultua workaholics e ensina que “Deus ajuda quem cedo madruga”. Bullshit again!
Tem milhões de pessoas que trabalham de sol a sol e vão sempre ser uns coitados, acreditando que um dia serão recompensados por trabalhar duro a vida inteira. Pois bem: trabalhar muito não quer dizer trabalhar bem! A prova disso são as madrugadas em que 5 horas não rendem como 1 hora quando se está descansado.

Tem gente que se esforça pra tornar o trabalho menos divertido e cada vez mais burocrático, quando na verdade deveria torná-lo mais parecido com o tempo livre.

terça-feira, 24 de julho de 2007

O mendigo e o cachorro!

É terça de manhã, são 8 horas e faz 7ºC. Entre as muitas pessoas que se vêem obrigadas a enfrentar o frio no centro da cidade, um mendigo dorme na calçada abraçado a um cachorro. Não parece um sono tranquilo, ao menos para o homem, teso em posição fetal com a cabeça apoiada sobre a barriga de seu melhor amigo e braços em volta de seu corpo, como em um travesseiro. Já o cachorro parece mais relaxado, barriga para cima, patas traseiras esticadas e cabeça jogada para trás como se pedisse uma bela coçada. Sinto vontade de bocejar e voltar pra cama. Chego a desconfiar se está vivo. Se estão vivos.

É uma cena doce e melancólica. Penso em tirar uma foto com meu celular, mas fico com vergonha, ou pena.

Quem busca conforto?
Quem precisa de calor?
Quem está atrás de carinho?
Quem vive de sobras?
Quem anda sem rumo?
Quem tem vida de cão?

quinta-feira, 12 de julho de 2007

Há quem mereça um corno?!

Publicado no Terra recentemente, 15 atitudes que podem indicar que você está sendo traída. Sério, acho que é uma das coisas mais ridículas que já li. Tomem o ponto 1 e 6, por exemplo, se o cara quer mais espaço pra ele "pode estar corneando", se está mais amável "pode estar corneando também". Ponto 9, se não quer mais sexo ou se quer sexo demais "pode estar corneando". Ponto 13, meus Deus, criticar outros infiéis, ou seja, ser moralmente correto é sinal de corno, pois partimos de um pressuposto que todos os homens traem ou são a favor ao menos, claro! Olha, melhor parar por aqui! Eu sei que nós homens temos um histórico que conspira contra a gente, mas esse título deveria ser mudado para "15 atitudes que podem indicar que uma NEURÓTICA está sendo traída". Quem leva a sério uma coisa dessas não sei se não merece um corno mesmo!

AS 15 ATITUDES:
1) O parceiro começa a dizer que precisa de um espaço só dele, sendo que antes o casal fazia tudo junto
2) Começam as reuniões com os amigos, onde a presença do outro é totalmente dispensável e imprópria
3) Ele está mais interessado em comprar roupas novas ou há momentos em que sai de casa mais arrumado para fazer ações banais, como "tomar um ar"
4) Seu parceiro há algum tempo começou a trabalhar até tarde e a ter reuniões no final de semana, mesmo sem mudança aparente no emprego
5) Ele tem se irritado ou fica estressado com facilidade
6) Mudança no comportamento: ele está mais amável do que o normal ou então você percebe que muitas vezes tem ficado como segundo plano
7) Sempre que está ao seu lado e o celular dele toca ele fica sobressaltado ou quer ficar sozinho para atendê-lo
8) Quando você telefona dificilmente consegue falar com ele
9) O apetite sexual dele mudou. O tempo todo está ocupado ou cansado demais para você ou então de uma hora para outra quer fazer sexo a todo instante com medo de que você perceba que ele tem outra
10) Ele começa a chegar sempre atrasado em compromissos
11) Ele tem crises excessivas de ciúmes
12) Quando chegam as contas, ele trata de pegá-las rapidinho para esconder gastos com telefonemas pelo celular ou com cartões de crédito em restaurantes, motéis, presentes para a amante
13) Ele critica outros infiéis
14) Ele se incomoda de ver você muito quieta, com medo que você desconfie da traição
15) Ele começa a achar tudo caro e costuma dizer com freqüência que vocês precisam fazer passeios mais baratos para economizar dinheiro

terça-feira, 10 de julho de 2007

O sabor do arroto!

Se tem uma coisa desagradável na cerveja é o arroto. É diferente do arroto de Coca-Cola, por exemplo, que é sonoro e praticamente inodoro. O de cerveja é um cheiro azedo que se espalha e é bastante perceptível.

Mas recentemente descobri que isso não é uma regra. Graças à chegada da cerveja belga Stella Artois. Uma cerveja com uma personalidade forte, muito malte e sabor. Descobri que a Stella Artois tem o melhor arroto de todas as cervejas que já consumi, e olha que já experimentei dezenas de sabores de diferentes países.

Na verdade mudei até a minha visão sobre a importância do arroto. Com a Stella Artois o arroto faz parte do processo de degustação da cerveja. Não é a melhor cerveja que já tomei, mas é a experiência mais completa de consumo. Não sei se é uma particularidade minha com essa cerveja, mas é bom saber que o prazer de consumi-la não se encerra após o último gole.

quinta-feira, 28 de junho de 2007

O contraponto – Mulher gostosa faz mal à saúde!

Freqüentemente vejo reportagens que criticam o ideal de beleza estabelecido pela propaganda e pelo mundo da moda. Um ideal que não corresponde a grande maioria das mulheres. Como conseqüência vemos a exposição de distúrbios como a anorexia, uma explosão de consumismo por produtos que supram a necessidade de auto-expressão das mulheres, cirurgias plásticas, entre outros. Além disso, a própria publicidade já está gerando esse contraponto, como é o caso da campanha Dove pela real beleza.

Mas ninguém considera o prejuízo do lado masculino!
A grande maioria do público masculino jamais vai ter em suas mãos mulheres do quinhão ditado pela propaganda ou pelas passarelas. O prejuízo é infinitamente maior! Depressão, aumento dos casos de traição pela pressão social de ter que conquistar uma mulher maravilhosa pelo menos uma vez na vida, dívidas no cartão de crédito porque mulheres maravilhosas estão ao alcance em alguns “lugares” mas por um alto preço.

Ou seja, mulher gostosa faz mal à saúde!? Azar! Será que sou masoquista? Bom, isso já é um outro problema, fica para a próxima sessão de psicoterapia!

terça-feira, 19 de junho de 2007

Uma nova definição para "Geração Saúde"!

Até hoje na minha vida só conheci uma mulher que não gosta de chocolate. É incrível como essa iguaria vem sendo um importante aliado das mulheres ao longo da história, especialmente nos momentos de depressão. Uma vez perguntei a essa minha amiga a que ela recorria nesses momentos se não gostava de chocolate? Recebi uma resposta meio “cabeça”, como se toda mulher fosse descontrolada ao ponto de precisar de subterfúgios pra conter ondas de tpm, neuras, deprês e afins. Bom, achei melhor não discutir!

O equivalente ao chocolate pro homem não é a cerveja nem o whisky. É a pornografia! Em momentos de depressão basta recorrer a uma boa revista, Internet, uma volta de carro em bairros específicos. Recentemente uma universidade britânica confirmou que olhar para um belo par de seios diariamente por 15 minutos faz bem à saúde. Não sou eu quem disse, é uma pesquisa séria de uma instituição idônea. Que, aliás, não disse nada além do que nós homens já sabemos por conhecimento empírico há milênios.

E todo esse tempo as mulheres achando que os homens olham outras por instinto ou pura safadeza. Quantos beliscões e tapas poderiam ter sido evitados. Tudo não passa de uma (agora finalmente comprovada) preocupação com a saúde.

sexta-feira, 8 de junho de 2007

Pessimismo Exacerbado!

Começo a me tornar radicalmente contra os feriados! Quando era um vagabundo, apenas estudando, os feriados eram aguardados com grande expectativa. Mas hoje acho que os feriados não servem pra nada. Nos dias que antecedem, cria-se uma expectativa muito grande sobre o que a gente pode fazer, se divertir, descansar. Se o feriado é na quinta, ocorre um tortura chinesa a semana toda com a possibilidade de haver feriadão, o que geralmente não se confirma.

Mas o pior de tudo é esperar a semana toda pelo feriado e descobrir às 18h que você vai precisar trabalhar no feriado. E tem uma situação ainda pior, quando por causa do feriado você é obrigado a trabalhar em dobro nos outros dias pra ter aquele de folga.

Fora que o feriado quando não emenda no fim de semana tem cara de domingo. Não existe nada mais deprimente do que um domingo. Você passa o dia todo pensando que amanhã é segunda. Sábado então nem se fala! Sábado é quase domingo e domingo é praticamente segunda!

domingo, 27 de maio de 2007

Revolução Feminina e o Soutien com Enchimento!

Eu sou totalmente a favor da revolução feminina. Acho que as mulheres devem buscar seus sonhos, mas sem passar por cima de ninguém, ou melhor, sem a idéia de suplantar o homem como pregam algumas feministas. Os homens devem pensar da mesma forma em relação às mulheres, afinal, nós precisamos uns dos outros.

E nessa corrida desenfreada que se estabeleu na busca pelo sucesso, pelo prazer, pela beleza, também sou totalmente a favor das pessoas mudarem aquilo que as faz sentir mal, seja por motivos estéticos ou para melhorar a autoestima. Se alguém quiser fazer uma plástica, uma lipo, botar um silicone, e daí? É claro que existem limites, mas tem mais é que fazer mesmo.

Sou totalmente a favor das mulheres ficarem gostosas. Aliás, acho que o silicone deveria ter subsídio do governo em um programa federal para deixar todas as mulheres gostosas nesse país. Algo tipo um "Baranga Zero"!

Só o que não posso aceitar é o Soutien com Enchimento. Sério, "push-up bra" é até aceitável, mas enchimento é propaganda enganosa. É como um homem usar uma meia de futebol na cueca pra parecer que tem um pênis gigante. Imaginem um cara botar um rolo de tala na sunga e ir pra praia desfilando seu membro artificial. Aí conquista uma gatinha e, num momento de intimidade, tira aquela sunga e... que decepção!

O lado positivo disso tudo é que as pessoas estão mais honestas consigo mesmas, admitindo sem medo a vontade ou necessidade de mudar. Não sei como até hoje ninguém criou a cueca com enchimento frontal. Não que eu precise, é claro! hehehe

quarta-feira, 23 de maio de 2007

Um universo de publicitários!

Todo mundo tem um pouco de publicitário. Não no sentido de ter a capacidade para exercer a atividade, mas por sentir-se habilitado para palpitar e criticar os profissionais da área com toda propriedade.
Ok, existe muita propaganda ruim por aí! Mas isso não justifica reprovar um trabalho porque o "poodle rosnou para a campanha", ou "a vó não riu do comercial" ou simplesmente "eu não gosto de verde". A maioria das pessoas que olham uma propaganda na televisão, por exemplo, não páram pra pensar nas limitações técnicas que podem ter acometido a criação da campanha, como verba, prazo e opinião pessoal do cliente.
Eu não vejo médicos, advogados ou administradores serem questionados pelos clientes com a mesma intensidade que os publicitários são. Acho que isso tem uma razão que remonta o nosso desenvolvimento infantil. Veja bem: qual uma das primeiras coisas que aprendemos quando criança? Desenhar! E logo em seguida escrever!
Então, não tem como as pessoas não se sentirem aptas a questionar o texto de uma campanha ou o logotipo, é apenas um "textinho" e o "desenhinho" da marca que "eu sei fazer também"!!!

quarta-feira, 9 de maio de 2007

A inutilidade mais útil que existe!

Será que um dia o palito de dente vai deixar de existir?
Acho que de todas a invenções da humanidade o palito é uma das mais antigas e a que menos evoluiu. Não duvido que Adão e Eva foram os primeiros a fazer uso dessa invenção. Imagine só o Adão, depois daquela carne de panela preparada com o maior carinho pela Eva, sentado embaixo de uma árvore no Jardim do Éden, sem nada pra fazer, só tinha uma mulher no mundo, já cansado de dar nome as coisas, com um fiapo de carne nos dentes. Certo que ele pegou um pedacinho de osso, uma espinha de peixe, uma lasca de madeira e começou a palitar. Até porque ainda não existia escova nem pasta.

Não tem coisa melhor do que ficar com um palito na boca depois do almoço, parecendo um caminhoneiro troglodita de regata com o braço esquerdo bronzeado.

No meu caso, os palitos não têm absolutamente nenhuma função prática. Meus dentes são muito próximos e não consigo retirar nenhum resto de alimento sem fio dental. Por isso, acho que a função do palito é me colocar em contato com meus instintos primatas. Então, depois de devorar aquele "brontoburguer" estou eu ali, palintando. E ai de quem cruzar o meu caminho nessa hora, que ninguém me olhe atravessado, você não ia querer me ver nervoso quando estou com um pedaço de carne preso entre os dentes...

terça-feira, 24 de abril de 2007

Cada dia é uma nova oportunidade de fazer cagadas!

Esses dias tinha chegado à conclusão de que eu já tinha perdido aquele sonho infantil de mudar o mundo. Hoje quero apenas tentar fazer a diferença para um grupo menor e para mim mesmo.

Mas minha esperança de ser agente de uma grande transformação global se restabeleceu recentemente. Porque tantas coisas foram criadas a partir de erros científicos, experiência que tinham um objetivo e geraram descobertas que acabaram revolucionando a humanidade em áreas completamente diferentes.

Faço tanta merda durante o dia, por isso minha esperança ainda não acabou. A penicilina surgiu de um erro em uma experiência de Alexander Fleming, em que reparou que as bactérias de Staphylococcus não cresciam no ponto contaminado pelo fungo Penicillium. Thomas Edison queimou milhares de lâmpadas até descobrir o filamento mais adequado para suportar o calor. Esses são apenas dois exemplos de centenas!

Da merda se faz adubo. Então, depois de cada dia de trabalho, só posso concluir que estou cada vez mais próximo de uma inovação.

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Parabéns por quê?

Esses dias tinha uma amiga de aniversário e fui dar os parabéns para ela. Aí parei pra pensar no sentido de parabenizar alguém pelo aniversário. Se a gente parar pra pensar, parabéns pelo que? Por ter sobrevivido mais um ano? Você não fez mais que a sua obrigação, viveu mais 365 dias!

A não ser que por estar tão difícil a realidade, muitos problemas, tanta gente morrendo todos os dias a gente mereça o reconhecimento das pessoas.

Sei lá, tipo... tomei um pé na bunda da minha namorada depois de anos de namoro. E eu aguentei mais um ano!

Os impostos aumentam em proporção geométrica e o salário continua na mesma. E eu aguentei mais um ano!

Estudei a minha vida inteira, fiz curso superior e pós-graduação, mas continuo ganhando uma miséria. E eu aguentei mais um ano!

Penso em mudar de vida, olho os classificados de empregos e vejo que exigem domínio de inglês e curso superior para vaga de frentista. E eu aguentei mais um ano!

Chefes que “deixam o cachorro passar e implicam com a pulga”. E eu aguentei mais um ano!

É, de repente, parabéns parece até pouco! Isso tudo parece simplesmente a vida seguindo seu curso, mas na verdade são grandes motivos pra gente comemorar e reverenciar cada ano que passa e seus sobreviventes!

quarta-feira, 11 de abril de 2007

Aumente seu pênis

Todos os dias milhões de spams circulam por email. Algumas dezenas vêm parar na minha caixa de entrada. Durante meses o spam que mais recebi foi aquele do famoso título “Aumente seu pênis”. Olha, o spam é realmente algo que tenta ganhar você na insistência. Como um cara na noite que fica dando em cima da mesma mulher e, mesmo ouvindo sucessivos “não”, persiste em suas tentativas e acaba ganhando a mulher no cansaço.

Se eu não estivesse muito seguro da minha sexualidade, provavelmente já teria aumentado o meu. Mas até agora nenhuma propaganda me convenceu de que 25cm é pouco (é só uma piada, tá!).

Mas eu poderia ir além. Hoje o Marketing Direto é uma realidade cada vez mais presente. Existem bancos de dados cada vez mais completos sobre milhões de pessoas. Assim, os anunciantes podem dirigir sua comunicação exclusivamente para pessoas com as características mais apropriadas para o consumo do seu produto, com menores custos de propaganda.

Então, se eu não soubesse que o “Aumente seu pênis” é um spam, poderia realmente ficar preocupado achando que através de Marketing Direto o anunciante me classifica como sendo um potencial consumidor de bombinhas penianas ou mesmo um procedimento cirúrgico mais complexo. Isso poderia custar anos de terapia, os homens já são tão preocupados com o tamanho do pênis, imagina descobrir que o mercado classifica você como “pau pequeno”.

quarta-feira, 28 de março de 2007

Pelo bem do alface

Não lembro exatamente quando (acho que na década de 90), uma companhia aérea, após a observação de uma aeromoça de que a maioria dos passageiros retirava a azeitona colocada decorativamente sobre os sanduíches, resolveu cortar a "maldita" azeitona como forma de redução de custos. A iniciativa resultou em uma economia de milhões de dólares anuais.

Quanto será que os bares e restaurantes economizariam se cortassem a alface decorativa de muitos pratos servidos. Nunca vi alguém comer essa alface decorativa! Será que alguém iria reclamar se fizesse um pedido de filé xadrez com queijo e não viesse uma folha de alface por baixo?

O alface tem sido nosso aliado na mesa há muitos séculos e não merece ser relegado a uma função estética. A fome assola o mundo atualmente. Quem sabe se a gente juntar a azeitona sobrando do sanduíche das companhias aéreas com a folha de alface, só falta um tomatinho e tem quase uma salada para alimentar as pessoas mais necessitadas.

quinta-feira, 22 de março de 2007

Quero que você dê o pior de si!

Fazendo uma limpa nos meus emails hoje, achei um texto do Max Gerhinger, colunista da revista Exame. O texto fala sobre um fenômeno que vem ocorrendo com a competição ferrenha que existe por vagas de emprego e a saturação no mercado de trabalho. Assim, o mercado está cada vez mais dividido em duas facções:

1. Aqueles que não conseguem emprego porque não possuem a qualificação necessária;

2. Aqueles que possuem as qualificações necessárias, porém nunca vão utilizar todo o seu potencial porque as vagas que ocupam não exigem todo o conhecimento que possuem.


Não precisamos ir longe para encontrar exemplos. Lembro que nos lugares que trabalhei, a maioria das recepcionistas ou secretárias faziam curso superior. Não duvido que o tiozinho dos serviços gerais seja fluente em inglês. Em Florianópolis, encontrei um marceneiro que parecia um pescador saído de uma novela da rede globo, tipo Carlos Richelli, regata cortada nos ombros, bermuda um pouco abaixo dos joelhos e cabelos crespos preso que se assemelhavam a um espanador, mas era além de ótimo marceneiro, técnico em informática e criava galinhas ao mesmo tempo em meio ao galpão de trabalho.


Bom pra eles!!! Ou não? É claro que todo mundo busca qualificação porque deseja crescer. Mas a consequência disso é que suas expectativas também crescem e possíveis frustrações por não poder desempenhar todo o seu potencial aparecem.


Perdi a conta de quantas vezes precisei dar apenas 60% do meu potencial para cumprir com as minhas obrigações. E o mais incrível: casos em que dar 100% representava um problema, ou seja, o cliente não queria uma solução tão boa!(?)


Eu realmente não me surpreenderia se um dia ouvisse um líder ou diretor dizer para a sua equipe “Quero que vocês dêem o pior de si!”

segunda-feira, 19 de março de 2007

Duas teorias sobre a origem dos columbídeos urbanos

Ontem estava indo para um churrasco e tive que desviar de uns pombos na rua catando comida. Então comecei a fazer alguns questionamentos sobre a origem e função dessas aves. Elaborei duas teorias!

Teoria 1:
Alguém já viu uma pomba em seu habitat natural? Aliás, qual o habitat natural de uma pomba: campo, selva? Ninguém sabe! Acho que as pombas são aves urbanas, uma espécia desenvolvida geneticamente em laboratório para habitar as cidades. São a prova viva de que o homem não só destrói a natureza, como também cria. Os pombos foram criados com uma função social: distrair e ocupar o tempo dos velhinhos que passam a tarde desocupados nos parques jogando migalhas de pão e farelos de bolachas.

Teoria 2:
Os pombos são vítimas do êxodo rural. São aves limitadas intelectualmente e, como havia poucas oportunidades no campo, os pombos migraram para as cidades em busca de uma vida melhor. Mas infelizmente não deu certo! E hoje os pombos são aves marginalizadas, lançadas à própria sorte. Não fazem nada de útil, só servem para sujar os nossos monumentos, suas fezes transmitem doenças, não cantam, desafiam o trânsito e arriscam a vida por migalhas.

quinta-feira, 15 de março de 2007

O segredo da cantada!

Por que nos filmes a maioria das cantadas americanas são um convite para tomar um café? “Can I buy you a cup of coffee?” ou “Maybe we can have a cup of coffee sometime?”. Sério, acho que eu nunca convidei uma mulher pra tomar um café se o propósito realmente não era de saborear um maravilhoso mocca de uma padaria ou bistrô de meu agrado.

Alguém pode dizer que de repente eu não goste muito de café, mas eu adoro o cheiro e concordo com a sua eleição de aroma do século. Apesar de que convidar alguém para cheirar um café pode soar meio estranho.

Será que os americanos são menos criativos que a gente em suas cantadas? Talvez não! Quem sabe são até mais espertos. Nesse caso, convidar para um café é só um pretexto, algo tão arbitrário quanto um convite para mascar um Trident. Nós é que somos burros, enquanto perdemos tempo tentando inventar uma cantada criativa, os americanos são mais diretos e convidam logo para tomar um café. Se a outra pessoa aceitar, é meio caminho andado. Enquanto a gente aqui fica correndo o risco de ouvir depois: “não... desculpa, olha, você entendeu tudo errado!”

terça-feira, 13 de março de 2007

Quem sabe o dia de amanhã?!

Estava eu fazendo uma campanha para um cliente sobre seu Programa de Preparação para Aposentadoria. O objetivo é informar os funcionários da empresa sobre as vantagens de estar preparado para a ruptura que é a aposentadoria.
Criamos uma idéia de associar o que o funcionário faz hoje com sugestões do que ele pode fazer "amanhã", ou seja, com as habilidades que tem hoje em sua função pode fazer outras coisas no futuro. Isso logo me fez pensar em sugerir que um funcionário de manutenção pode ser presidente do Brasil quando se aposentar. Porque se ele quiser ser lixeiro não tem como, pra isso precisa segundo grau completo. Mas pra comandar o país ainda não é lei ter estudado!

Tirando o cabaço do blog

Acabei de criar essa porcaria e ainda não tenho idéia do que postar, então este comentário é apenas pra perder a "virgindade". A idéia do vicissitudinário é criar um espaço pra mim, que me obrigue a escrever mais, ou simplesmente um ponto para postar as besteiras que me vieram à cabeça. Além disso, é claro, que eu possa dividir esses posts com as pessoas que conheço, trocar idéias, comentários, enfim, crescer. Nem tudo aqui será necessariamente verdade ou um ponto de vista meu, uma experiência própria, pretendo usar o blog principalmente como uma válvula de escape a lampejos criativos textuais, entre outros. Um abraço a todos!