terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Pelo acento no cu!

Descobri recentemente que cu não tem acento. Não sei como consegui viver tantos anos achando que o cu tinha outro acento específico além do vaso sanitário.

Que decepção!

Fiquei com pena do cu.
Imagina, diariamente mandado à merda.
Desprestigiado, é sempre vitimado como a parte frágil do corpo, ao primeiro sinal de medo alguém diz: “Aaah, apertou o cu agora, né?!”
Se é pra xingar alguém, logo vem um “Vai tomar no cu!”, quase tão comum quanto um bom-dia já, ninguém mais pára pra pensar no significado.
Se um lugar é apertado, é “um cu”.

O cu merecia acento, seria tão mais sonoro, imponente: cú!!!
Acentuá-lo seria como devolver-lhe a juventude, ou uma prega. Um tributo por anos de serviços prestados. Não vamos fechar os olhos para mais esta injustiça, de cego, já basta o cu!

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Chinelagens!

Na boa, chinelágens clássicas, que todo mundo faz ou já fez um dia, indeferentemente da razão:

• Levar a namorada pra jantar fora e pagar com ticket.
• Ir de ônibus pra balada.
• Comemorar o aniversário na Xuka, ou qualquer outro rodízio de pizza.
• Comemorar o aniversário em qualquer lugar onde o aniversariante não paga.
• Fazer a festa de casamento num rodízio em que cada um paga sua conta, ou pelos menos as bebidas.
• Levar cerveja, refrigerante e salgadinhos num aniversário e pegar de volta o que não comeu no final da festa.
• Levar pra casa arranjo de centro de mesa de formatura ou casamento.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Resoluções de Ano Novo!

• Não emagrecer
• Não casar
• Não ser pai
• Não parar de beber

- E ainda assim mudar de vida!