quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Nonsense

Quem nunca foi surpreendido por uma frase ou comentário nonsense, que deixa a gente com "cara de ponto de interrogação". Eu tenho uma tia que é mestre nisso, como se a gente escutasse os pensamentos dela e não fosse necessário completar as frases. Garçons, recepcionistas e afins também são responsáveis por esse tipo de comentário que deixa a gente sem reação. Alguns exemplos que eu lembro:

• Meu irmão foi comer um Xis e quando pediu uma Coca com gelo o garçom disse: "Desculpe senhor, mas não trabalhamos com gelo!"
(como assim? o que se diz em resposta pra isso? Então me traz uma Coca bem quente!)

• Minha tia uma vez me disse: "Matheus, não quer dormir lá em casa hoje?", e eu "Não sei, tia", e ela "Porque eu ia fazer nuggets!"
(Meu, o que tem uma coisa a ver com a outra? Que papo de louco!)

• Mas a pior de todas, num restaurante na praia: "Tem casquinha de siri?", e o garçom "Não, mas tem sorvete de morango!"
(????)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Metáforas da vida empresarial

Numa sala de aula relativamente cheia, digamos assim, umas 50 pessoas, é estatisticamentente normal que um percentual seja reprovado. Mas quando repetidamente mais de 60% é reprovado todos os anos, a direção do colégio começa a olhar com mais atenção para o professor ou para a metodologia de ensino adotada, quem sabe.
E o que mais tem é patrão achando que a turma é que não estuda!

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Distrações nos tempos do cólera

Começo de ano, reuniões e mais reuniões de avaliação e projetos. Eu fazendo um esforço sobre humano pra tirar algo de útil numa delas, quando vejo 2 assistentes fazendo anotações sem parar. Me fez lembrar dos tempos de colégio e algumas coisas que me deixavam apavorado (pelo menos a reunião pareceu passar mais rápido):

• Numa aula de química ou física ver alguém escrevendo folhas e folhas, e eu não entendendo absolutamente nada da aula, sequer sabia o que anotar;

• Quando as provas já vinham com um espaço predefinido para as respostas e com isso você já sabia quais questões exigiam mais desenvolvimento;

• Numa prova de matemática, por exemplo, tinha um puta espaço entre 2 questões e você só lembrava de uma formulazinha ridícula;

• Ou quando você fazia toda a questão com absoluta segurança e, ao terminá-la, orgulhoso, olhava pro lado e via que a resposta do colega ficou absurdamente maior que a sua.

Como os paradigmas mudam com o tempo. Troxa era quem sabia a matéria e estudava. Lembro uma vez um colega dizendo pra galera, sobre mim: "O Matheus é um merda, passa o ano todo bagunçando com a gente e no fim passa por média e deixa a gente lá em recuperação!"

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Reforma Ortográfica

Responda de acordo com a reforma ortográfica:

O que significa a frase "Trânsito intenso para Barra da Tijuca"?

(a) trânsito intenso sentido Barra;
(b) congestionamento na Barra;
(c) não entendi, mas não vou tentar ir pra Barra.